A Certificação de pessoas e de empresas
é um catalizador de mudança!
 
 
_Política Conflito de Interesses
 
 


Sendo o CENTERM uma estrutura que tem na sua raiz estatutária diversas instituições que promoveram a sua criação face às necessidades legais sentidas no sector e à importância de definir e certificar boas práticas em diversos domínios, a existência de relações institucionais entre o CENTERM e as entidades que estão na sua génese não pode nem deve ser negada, já que constitui em si mesmo uma mais valia capaz de conferir pertinência a toda a acção que o CENTERM tenha que desenvolver. Não se poderá assim negar a existência de interesses comuns entre o CENTERM e as instituições que o originam, sendo no entanto inegável a necessidade de gerir com rigor o eventual conflito de interesses que possa surgir nessa relação.

» Os quadros seguintes podem definir esta eventualidade:

Ao nível da actuação dos colaboradores –. Ao nível da actuação dos colaboradores – Dada a natureza institucional do Organismo para a Certificação de Pessoas (OCP) e a profunda implicação que as suas decisões podem ter, não só no plano profissional dos candidatos que a ele recorram mas também no tecido empresarial, importa balizar a sua actuação no plano da transparência de processos, nomeadamente os que respeitam ao cruzamento de interesses a que os seus colaboradores podem estar expostos de forma explicita ou implícita. Neste cruzamento de interesses estão envolvidas as acções que possam desencadear enquanto actores no âmbito do OCP e situações potencialmente geradoras de conflito no plano pessoal ou profissional externas ao Organismo.

Ao nível da relação entre instituições – os responsáveis pelas instituições envolvidas, CENTERM e outras, deverão pautar a sua actuação de forma a garantir a completa isenção por parte dos responsáveis pelas tomadas de decisão. Esta garantia formaliza-se através de: a) estrito respeito pelas normas estabelecidas; b) transparência de procedimentos que venham a ser definidos; c) responsabilização dos intervenientes no processo avaliativo; d) entendimento de que a isenção nos procedimentos é uma condição indispensável para o bom funcionamento do OCP do CENTERM; e) respeito pelas decisões tomadas.

Ao nível das actividades – A estrutura do OCP do CENTERM, na dependência directa da Direcção do CENTERM, assegura a sua independência face a outras estruturas do CENTERM, que eventualmente possam configurar situações de conflito de interesses. Por outro lado O OCP do CENTERM assume que lhe estão vedadas quaisquer actividades que, de forma directa ou indirecta, possam estar ligadas a actividades de formação ou consultoria, e que possam comprometer os princípios de imparcialidade e de independência de todos os serviços prestados pelo OCP do CENTERM.

Ao nível Financeiro/ Comercial – O OCP do CENTERM pratica uma politica de preços que obedece a uma tabela publicada e de cumprimento obrigatório, não sendo permitida qualquer diferenciação estranha ao que se encontra estabelecido na mesma. Desta forma, em termos comercias, assegura-se a igualdade de tratamento para requerentes, candidatos e pessoas certificadas.

Importa, assim, estabelecer um mecanismo que regule estas possibilidades de conflito e que possa constituir, quer para o exterior quer para defesa dos próprios colaboradores e da clareza interna dos processos, um referencial exigente e aceite por todas as partes envolvidas.

Nesse sentido, e sem prejuízo da necessária boa atenção que deve ser dada a outras potenciais situações de conflito de interesses, a matriz apresentada neste documento, faz um resumo das situações de conflito mais pertinentes:

» Consulte aqui o Documento

 
CENTERM - Centro Tecnológico para a Indústria Térmica, Energia e Ambiente Morada: Rua José Estêvão nr. 74-76 | 1150-203 LISBOA Tel 308 807 357   e-mail: centerm@centerm.pt


Propriedade: CENTERM 2011 | Desenvolvido por: Sofia Sequeira